Profissão de Nutricionista. Dieta ideal, carreira e formação

Perguntas e respostas sobre a profissão de Nutricionista. Dieta ideal, carreira, mercado de trabalho e formação necessária para se tornar um médico nutricionista.

O que é ser nutricionista?

Ser nutricionista é estudar o processo que acontece entre a ingestão dos nutrientes presentes nos alimentos e a sua ação no corpo humano, estabelecendo assim as corretas taxas de nutrição para cada indivíduo.

Como saber qual a dieta ideal para cada pessoa?

Com base nos exames das Ciências da Nutrição e Alimentação, o nutricionista saberá como funciona o organismo do paciente e quais são as substâncias em excesso ou deficiência, elaborando assim uma dieta adequada.

Qual a formação necessária para ser nutricionista?

É necessário um diploma reconhecido pelo MEC no curso superior de Nutrição. O curso dura de quatro a cinco anos. Caso seja estudante de medicina, ele poderá cursar a faculdade de Medicina com duração de seis anos e então realizar residência em nutrição ou nutrologia, cuja duração é de dois anos. Além disso, é necessário o registro no Conselho Regional de Nutricionistas de sua jurisdição.

Qual o piso salarial?

O piso salarial do nutricionista varia conforme cada estado. O profissional poderá atuar como autônomo ou trabalhar em uma clínica ou consultório. De acordo com a Federação Nacional dos Nutricionistas o valor mínimo para 44 horas é de R$ 1872,60. Já para a consulta em nutrição na clínica o valor é de R$ 93,20 enquanto que em domiciliar o valor é alterado para R$ 139,80.

Como está o mercado de trabalho para o profissional nutricionista?

Devido a procura por uma vida mais saudável, com qualidade de vida e bem estar, o profissional nutricionista está sendo bastante valorizado. Com uma dieta adequada aliada a atividades físicas, é possível viver melhor e envelhecer sem grandes problemas.

Quais as áreas de atuação?

Alimentação coletiva, composta por alimentação do trabalhador, escolar, restaurantes industriais, entre outros.

  • Carreira acadêmica: coordenação de cursos, ensino, extensão, pesquisa, entre outros.
  • Saúde coletiva: grupos de apoio, vigilância da saúde, desenvolvimento de programas e políticas institucionais, unidades de atenção básicas de saúde, entre outros.
  • Nutrição esportiva: promover, manter ou recuperar a saúde e o desempenho de atletas esportivos ou amadores em academias, eventos esportivos, clubes ou times.
  • Indústria de alimentos: controle de qualidade e desenvolvimento de produtos.
Por Redaweb e redação